Prefeitura quer empréstimo de R$ 300 milhões e levanta suspeita sobre saúde financeira de Manaus

Por Erika Passos, A repórter

Manaus – A prefeitura de Manaus está em busca de um empréstimo no valor de R$ 300 milhões junto ao Banco do Brasil para dar continuidade às obras de infraestrutura urbana e recuperação das ruas e avenidas da cidade.

O empréstimo, considerado alto para os padrões de uma cidade do tamanho de Manaus, será pago em dez anos. Isso significa que o prefeito Arthur Neto deixará uma grande dívida que será paga pelos próximos prefeitos, comprometendo a capacidade de gestão e investimento das futuras administrações.

A liberação do empréstimo depende de autorização da Câmara Municipal de Manaus, onde o prefeito tem apoio da maioria dos vereadores. Isso significa que o projeto de lei n. 36/2020 passará com facilidade pelo Legislativo Municipal.

Falta ao prefeito explicar melhor como serão aplicados os R$ 300 milhões. Na Câmara circula a informação que os recursos serão usados também na reforma da maternidade Moura Tapajós e dos terminais de ônibus T4 e T5, porém a prefeitura não confirmou a notícia.

O que levanta suspeita sobre a liberação do empréstimo são as declarações do prefeito, que disse que as contas do Executivo estão em ordem e os cofres municipais cheios de dinheiro.

Se as contas estão em dia e a prefeitura tem capacidade financeira para investir em obras, por que obter um empréstimo tão alto e comprometer as futuras gestões do município? Será que a boa saúde financeira de Manaus é apenas propaganda para eleger um sucessor em ano eleitoral?

Fonte: A repórter