Pesquisadores descobrem “parente” do chikungunya

Com sintomas semelhantes ao da febre chikungunya, o vírus mayaro tem um potencial ainda maior para provocar uma epidemia, já que pode ser transmitido pela picada dos mosquitos Aedes aegyptiAedes albopictusCúlex (pernilongo comum) e Haemagogus (transmissor da febre amarela). A descoberta é do Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que identificou três casos após a realização de um teste genético chamado de PCR.

O vírus comum na região Norte do Brasil também provoca febre e dores nas articulações, motivo que leva a certa confusão no diagnóstico quando baseado apenas nos sintomas das infecções.

O estudo, que teve a coordenação dos pesquisadores Amilcar Tanuri e Rodrigo Brindeiro, analisou 279 amostras indicativas de infecção por chikungunya e encontrou mayaro em três delas. Por enquanto, o grupo realiza estudos para confirmar e aprofundar as características virais, epidêmicas e sorológicas das infecções.

Sobre o mayaro

O vírus teria sido descrito pela primeira vez em Trinidad e Tobago, em 1955. No ano seguinte, foi identificado em Belém do Pará, no Brasil. De lá para cá, foram registrados casos esporádicos no país.