Pai mata filho de 4 anos de idade após não aceitar fim do relacionamento

Na madrugada do último domingo (16) um menino de 4 anos acabou sendo morto pelo seu próprio pai. Em seguida, o homem tirou a própria vida. O caso ocorreu na cidade de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, no Paraná. A Polícia Civil do estado informou que o homem, identificado como Neri da Rosa, de 37 anos, cometeu o crime pelo motivo de não aceitar o fim de seu Relacionamento com a mãe da criança.

Antes de cometer o ato contra a própria vida, o homem havia escrito um bilhete indicando quais foram as motivações para o crime.

As informações contidas no bilhete fizeram a Polícia acreditar que o homem matou a criança para se vingar. A criança de quatro anos, Davi Gabriel Franco da Rosa, foi esganada em seu próprio quarto enquanto dormia. Ele estava dormindo na casa do pai, no bairro de Guabirutuba, quando ele cometeu o crime.

Desabafo da mãe

A mãe da vítima usou de redes sociais para desabafar e falar a respeito de como se sentiu com o ocorrido. Ela relatou que agora, com a morte do seu filho, a sua vida havia perdido todo o sentido.

A mãe fez um relato emocionado onde comentou a respeito da morte da criança. Ela aproveitou a postagem para relembrar momentos com Davi, e contar sobre os desejos que ele tinha, como o de ter uma guitarra. Ela contou que não deu tempo dos seus desejos se concretizarem antes de sua partida. A mãe, em sua carta direcionada à criança, falou que, mesmo com toda a tristeza da perda do filho, estava bem e que irá sentir muito a falta dele.

A publicação foi feita pela mãe através do seu Facebook, na qual desabafou a respeito da perda de seu filho, como se estivesse direcionando uma carta pessoal para ele.

Ela relembrou apelidos que a criança usava para se referir à ela “mamãe minha lindona”, e como ela também se referia ao seu filho “meu príncipe, meu bebê”. A mãe também finalizou a carta dizendo amar muito o menino, e pede para que ele olhe por ela de onde está, e que um dia eles irão se reencontrar para estar novamente em seus braços.

Carta deixada pelo pai

Ainda não se tem muitas informações a respeito do caso. O homem já estava separado da mãe do menino há cerca de 6 meses, mas, segundo foi informado pela Polícia Civil, ele já havia ameaçado anteriormente a companheira.