MC Orochi e Hungria levam o hip-hop para o Copacabana Chopperia

Manaus – O Copacabana Chopperia, no bairro Tarumã, zona oeste, abriu o mês de outubro com mais show de sucesso. MC Orochi e Hungria roubaram o ‘hype’ do hip-hop da cidade de Manaus, no último sábado (5), na zona oeste da capital. O evento teve a chancela do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC).

A capital amazonense já é bem conhecida pelo seu povo acolhedor, principalmente por músicos. Não é diferente de Gustavo Neves, vocalista da Hungria que, mesmo tendo vindo outras vezes, revelou que sempre tem um sentimento diferente.

“Manaus já pode ser considerada uma das capitais do hip-hop. A cada ano que venho, eu vejo mais gente ouvindo e comparecendo aos shows e isso é muito gratificante. No show de hoje (sábado) por exemplo, se eu não cantar ‘Lembranças’ ou ‘Um pedido’, capaz de não deixarem eu voltar aqui”, disse, em meio a risadas.

O cantor natural do Distrito Federal também é considerado como um dos shows mais emblemáticos, considerado até mesmo por outros rappers como um momento de preenchimento de autoconfiança.

“Eu fico feliz em saber que minha música é considerada dessa maneira. Que ela consegue motivar, dar forças a quem escuta. Creio que se isso não acontecesse, não teria sentido eu continuar cantando. Eu procuro sempre dar o melhor de mim, colocar minhas experiências nelas. Eu vim do interior do Distrito Federal, não tinha nada, agora vivo do meu sonho. Então, gosto de mostrar isso para os meus fãs”, finalizou Gustavo da Hungria.

Influência

O estilo musical norte-americano chegou a capital amazonense na década de 1980 e, hoje, se faz presente principalmente na periferia da cidade, dando voz a lutas sociais, apesar de sofrer com preconceito.

Causa essa que fez com que a consultora de vendas, Zipora Campêlo, 30, se apaixonasse pelas rimas improvisadas e a batida forte do grave, além da influência do seu marido.

“Meu marido foi o primeiro a me influenciar e depois que você entra no meio e começa a entender, se apaixona pelo hip-hop. Eu espero que o Copacabana continue trazendo artistas desse estilo para cá, porque é um estilo que abraça todo o tipo de pessoa. O show do Hungria mostra que Manaus curte outros tipos de músicas além de forró, rock e pop”, comentou.

Morando na capital amazonense há um ano, o brasiliense Diego Pereira, 22, veio prestigiar o seu conterrâneo, Gustavo da Hungria Neves, e revelou que o cantor é uma inspiração para muitas pessoas.

“Em Brasília se escuta muito Hungria e o Gustavo é um orgulho do Distrito Federal. Ele é um verdadeiro exemplo de que, com muita persistência, podemos alcançar os nossos sonhos, assim como o Orochi. Fico muito feliz que Manaus está abrindo as portas para eles e para o estilo musical. Tenho que certeza que não irão se arrepender”, declarou.

Fonte: D24am