1 de dezembro de 2021

Portal Amazon News

Conecta você à notícia

Mãe joga água quente no filho de 7 anos por ele tomar todo o achocolatado da casa

1 1

Uma mulher foi presa nesta quinta-feira (18) por ter jogado água quente na mão do filho dela, de sete anos, por ele ter tomado todo o achocolatado que havia na casa, na cidade de Tailândia, no Pará.

O caso aconteceu na última terça-feira (17), e revoltou profissionais de saúde do Hospital Regional, que informaram a Polícia Civil sobre o fato.

Castigo

Na delegacia, Amanda Sousa Cruz, 22, teria confessado que jogou água quente no filho para castigar o menino, por ele ter tomado todo o achocolatado que havia na casa.

“Ela disse que estava de ‘cabeça quente’ e que quando estava fazendo o leite da filha menor viu que não havia mais achocolatado, porque o menino tinha tomado. Disse que fez isso com intuito de castigá-lo”, contou o delegado João Fagioli, que fez a prisão.

Pena máxima

A mulher foi presa em flagrante pelo crime de lesão corporal grave, cuja pena máxima pode chegar a quatro anos. Amanda Sousa também está sendo investigada pelo crime de maus tratos.

“Por enquanto, o que podemos afirmar, até pelo exame de corpo de delito da criança, é que houve a lesão corporal grave, mas ainda não temos comprovação se o menor já vinha sofrendo maus tratos”, esclarece o delegado.

‘Castigos físicos eram comuns’

Também de acordo com o policial civil, a mulher não tem antecedentes criminais, e não há registros no Conselho Tutelar do município. Ele informou que não foi constatada lesão corporal antiga no exame de corpo de delito.

Uma informação, no entanto, chamou atenção da Polícia Civil, segundo o delegado João Fagiolli: “no depoimento, a criança disse que os castigos físicos eram comuns”.

Guarda

Conforme a reportagem informou, Amanda Sousa é viúva, desempregada e vive com dois dos três filhos — a outra criança que mora com ela tem 3 anos. A terceira filha mora com um parente do ex-marido dela.

Assim, como não tem ninguém da família na cidade, o menino ficou sob a responsabilidade do Conselho Tutelar, que já o encaminhou para um abrigo, onde aguardará a decisão do Juizado da Infância.

O delegado João Fagioli falou que o caso já foi comunicado para a Defensoria Pública, órgão que deve designar um advogado para a suspeita.

Publicado por: David Richard

 

Happy
Haha
0
Sad
Triste
3
Excited
Amei
0
Sleepy
Tédio
0
Angry
Raiva
9
Surprise
Uau
1