Lancha é encontrada à deriva e com marcas de sangue no Rio Negro

O barqueiro Isaías, conhecido por “Negão”, que trabalha na travessia Ceasa-Careiro, está desaparecido. A lancha dele foi encontrada, na madrugada desta segunda (03/02), à deriva e com motor e farol ainda ligados. Havia muito sangue, cápsulas de balas calibre .40, deflagradas, roupas e sandálias que seriam dele.

“Isaías trabalha há mais de dez anos nessa travessia e, de vez em quando, à noite”, disse um dos colegas.

O trecho da travessia vai do porto da Ceasa, no rio Negro, ao porto do Careiro, no rio Solimões, passando pelo Encontro das Águas. É o mesmo trajeto da balsa que leva os veículos rumo à BR-319 (Manaus-Porto Velho).

Movimento na pesca

Este é um período de rio cheio e o movimento fica menor na travessia. A maior parte dos usuários é formada por pescadores esportivos de tucunaré. A região do Careiro Castanho e Autazes tem alguns dos lagos mais procurados pelos praticantes dessa modalidade de pesca.

Quando o rio está seco e a temporada de pesca chega ao auge, entre os meses de agosto e novembro, milhares de pescadores se aventuram na região. O tucunaré é mais agressivo no começo da manhã e no fim da tarde, o que leva muitos a atravessarem de madrugada. São poucos os canoeiros, porém, que trabalham nesse horário e só com viagens agendadas.

O desaparecimento de Negão provoca inquietação entre os pescadores. É o assunto do dia nos grupos das redes sociais dedicados a troca de informações sobre essa atividade. A pesca se tornou uma das principais alternativas econômicas dos ribeirinhos dessa região e cresce a cada ano.

A polícia esteve no local e já recolheu a lancha para perícia. As primeiras informações são de que os investigadores suspeitam de envolvimento do tráfico de drogas no desaparecimento. Os colegas de Isaías fizeram buscas nas áreas próximas, inclusive nos braços de rios, mas nada encontraram até agora.