Juíza pede afastamento de PMs supostamente envolvidos em ‘Caso Wallace’

Manaus – A juíza da 2ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes (Vecute), Rosália Guimarães Sarmento, assinou, nesta terça-feira (14), o mandado de afastamento cautelar de três policiais militares, suspeitos de integrarem uma organização criminosa envolvendo o ex-deputado federal Carlos Souza e o ex-deputado estadual Fausto Souza. O Comando Geral da Polícia Militar tem o prazo de cinco dias para cumprir a decisão.

Os irmãos Souza foram condenados a 15 anos de prisão, cada um, na última terça-feira (7), acusados pelo envolvimento em uma organização criminosa que ‘orquestrava’ cenas de crimes, na capital, e que eram transmitidas, ao vivo, em seu programa de televisão, o extinto ‘Canal Livre’.

O mandado de afastamento imediato cita os policiais militares Eliseu de Souza Gomes, Luiz Maia de Oliveira e Allan Rego da Mata, condenados pelo crime de associação criminosa para o tráfico de drogas. O Comando Geral da Polícia Militar tem o prazo de cinco dias para comunicar, via ofício, o cumprimento da decisão.

Segundo a juíza titular da 2ª Vecute, nos autos do processo já constava uma decisão liminar, a pedido do juiz Mauro Antony, pedindo o afastamento dos militares,que não foi cumprida ou, pelo menos, não constava nos autos o cumprimento da mesma.

Os acusados encontram-se em liberdade e podem recorrer da decisão, junto ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). De acordo com a juíza Rosália, a decisão do afastamento imediato só deve ser revertida caso a Justiça conceda uma liminar autorizando a permanência no cargo.

Além do afastamento cautelar dos militares, há, ainda, o julgamento da sentença penal condenatória que determina a perda definitiva do cargo público dos policiais envolvidos na organização criminosa. Conforme a juíza, a decisão dependerá dos desembargadores do TJAM.