Filho é suspeito de tentar estuprar a mãe de 85 anos em Manaus

Manaus  Uma idosa de 85 anos foi vítima de uma tentativa de estupro, que ocorreu na madrugada de domingo (23) na casa onde ela mora, na Avenida Silves, Zona Sul de Manaus. O filho dela, um homem de mais de 50 anos é o principal suspeito do crime. A vítima foi surpreendida por um homem encapuzado no momento em que dormia e foi salva pela chegada da filha.

A idosa relatou que estava sozinha e, por volta das 2h, acordou com o homem encapuzado a forçando a manter relações sexuais. Ele estava com uma faca nas mãos e tentou tirar a roupa da vítima. Ela começou a gritar e ainda lutou com o suspeito.

“Já pensou a gente estar dormindo e acordar com um homem com a cara coberta. Quero que o encontrem e que prendam ele. Em homem assim não se confia. Pelo amor de Deus, tenho até medo de dormir em casa sozinha. Acordei com ele me virando e eu gritava para que ele saísse dali. Ele tapava a minha boca e começou a puxar minha roupa. Quando ele ouviu a voz da minha filha, ele disse que se eu olhasse para ele, iria morrer”, relatou a vítima. 

Para a família, o principal suspeito é o filho da idosa, que voltou do estado do Ceará para Manaus há pelo menos um ano. Ele foi visto pela filha da idosa deixando a residência durante a madrugada e a carteira dele foi encontrada pela idosa no quarto. No entanto, a vítima não conseguiu ver o rosto do suspeito de estupro.

“Temos um suspeito que é o meu tio. Depois do crime, durante o dia, minha avó encontrou uma carteira e ele puxou da mão dela e disse que era dele. Ao ser questionado, ele inventou que tinha sido assaltado, que o ladrão poderia ter ido até a casa, algo totalmente fantasioso. Depois, ele desapareceu e até agora não entrou em contato. Não tinha nada arrombado na casa, não entraram para roubar nada. Ele estava suado e nervoso. Também possui problemas com bebidas alcoólicas. É uma coisa difícil de acreditar, que uma idosa tenha passado por isso”, contou uma das netas. 

A idosa passou por exame de corpo de delito na tarde desta segunda-feira (24), no Instituto Médico Legal (IML) e o caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Crimes contra o Idoso (DECCI).

Fonte: EM TEMPO