Embaixada dos EUA no Brasil diz para cidadãos americanos manterem discrição

A embaixada dos Estados Unidos no Brasil divulgou hoje uma nota em que pede para que os cidadãos daquele país “mantenham a discrição”. O texto foi publicado antes dos ataques do Irã às bases que abrigam militares norte-americanos no Iraque, que foram caracterizadas pelos iranianos como uma resposta à morte do general Qassim Suleimani.

“Há uma crescente tensão no Oriente Médio que pode resultar em riscos à segurança dos cidadãos dos EUA no exterior. A Embaixada continuará analisando a situação de segurança e fornecerá informações adicionais conforme necessário.”, diz a nota da embaixada.

O texto afirma que os cidadãos dos Estados Unidos que vivem em outros países devem “manter a discrição, estar alerta sobre seu entorno, ficar alerta em locais frequentados por turistas, rever planos de segurança pessoal e ter documentos de viagem atualizados e facilmente acessíveis.”

Procurada pela reportagem, a embaixada dos Estados Unidos afirmou que não faria nenhum comentário.

Os ataques

Duas bases aéreas que abrigam tropas dos Estados Unidos e da coalizão no Iraque foram atingidas por foguetes, na noite de hoje. Ainda não se sabe se houve vítimas. O Pentágono confirmou os ataques, e o Irã assumiu a autoria a ao menos uma das bases.

A TV estatal iraniana disse que a Guarda Revolucionária Islâmica do país lançou “dezenas” de foguetes, como resposta à morte do general iraniano Qassim Soleimani, na última quinta-feira, após um ataque americano. O nome da operação de hoje, inclusive, foi “Mártir Soleimani”, segundo a emissora. De acordo com os Estados Unidos, teriam sido 12 mísseis. Uma das bases atingidas foi Ain al-Asad, em Anbar. A outra se localiza em Irbil, na região semiautônoma do Curdistão.

Segundo o Pentágono, as duas bases americanas atingidas já estavam em alerta máximo “devido a indicações de que o regime iraniano planejava atacar nossas forças e interesses na região”.