Diretora de escola é afastada por dizer que Kobe mereceu morrer

A diretora de uma escola de ensino médio em Washington, nos Estados Unidos (EUA), foi afastada de suas funções por ter escrito em seu Facebook que a morte de Kobe Bryant foi o “carma punindo um estuprador”. As informações são da CNN.

Liksa Sejkora, nome da diretora, logo apagou o post, que fazia referência ao caso, de 2003, quando Kobe foi acusado de estupro pela funcionária de um hotel do Colorado.

VEJA TAMBÉM: Vanessa, esposa de Kobe Bryant, se declara ao marido: ‘Sinto tanto sua falta’

“Vocês têm o direito de me julgar pelo que eu escrevi, tanto quanto eu tenho o direito de julgar a pessoa sobre a qual o meu post falava”, escreveu Sejkora posteriormente.

Sejkora enviou e-mail aos pais dos alunos da Camas High School, onde ela trabalhava, se desculpando. “Eu quero pedir desculpas por implicar que a morte de alguém foi merecida. Foi inapropriado e de mau gosto”, escreveu.

“Nas aulas, lembramos aos nossos alunos que eles devem pensar antes de postar as coisas na internet, especialmente quando os sentimentos de todo mundo estão inflamados. Também ensinamos aos estudantes sobre o contexto das coisas”, continuou.

“Minhas emoções e as minhas experiências passadas venceram o meu autocontrole naquele momento. Também mostramos aos alunos que o que eles compartilham nas redes sociais é permanente”, completou.

“Embora o que eu tenha escrito estivesse em minha conta pessoal do Facebook, para ser lido por meus amigos, e tenha sido rapidamente removido, entendo que nem sempre privacidade significa privacidade hoje em dia”, reconheceu.

“Eu amo ser diretora da Camas High School. Temos alunos, funcionários e uma comunidade incrível. Eu aprendi uma importante lição, e espero poder recuperar a confiança de todos vocês um dia”, finalizou.