Coronavírus: Confira o que abre e fecha com novo decreto no Amazonas

Redação
0 0
Tempo de leitura:3 Minuto, 47 Segundo

Manaus | O governador Wilson Lima anunciou, neste sábado (23), a ampliação de medidas restritivas para reduzir a taxa de infecção pelo novo coronavírus no Amazonas.

Após reunião do Comitê de Enfrentamento da Covid-19 e representantes do comércio e serviços e de órgãos de controle, ficou definida a ampliação para 24 horas do período de restrição de circulação de pessoas no estado, durante sete dias, a partir de 25 de janeiro.

VEJA TAMBÉM: Procuradoria Geral da República recomenda isolamento social mais rígido no AM

“Não há lockdown no estado do Amazonas. Há muita gente disseminando informações que não são verdadeiras, estão propagando fake news. Essa é uma medida para que a gente possa diminuir aglomerações e consequentemente quebrar essa cadeia de transmissão do vírus, que, dessa vez, de acordo com especialistas, essa mutação nova tem uma capacidade muito grande de transmissão”, afirmou o governador Wilson Lima, durante o anúncio das medidas.

Novas medidas

O novo decreto já está sendo preparado e será publicado até amanhã (24), entrando em vigor na segunda-feira (25).

-Poderão funcionar durante o período de restrição de circulação apenas supermercados varejistas e atacadistas de pequeno, médio e grande porte e padarias (das 6h às 19h), drogarias e farmácias (24 horas), mercados e feiras (das 4h às 8h) e serviços essenciais das áreas da saúde e segurança.

VEJA TAMBÉM: Governador Wilson Lima decide restringir circulação de pessoas por 24h

-Será permitida a circulação para aquisição de produtos essenciais à vida limitada a uma pessoa por núcleo familiar. Os serviços de delivery só serão permitidos das 6h às 22h para serviços essenciais, como venda de alimentação, aqui incluídos restaurantes. Não serão permitidos serviços delivery ou drive-thru de comércio e serviços não essenciais.

-Postos de combustíveis também poderão funcionar sem a abertura das lojas de conveniência.

-As indústrias funcionarão em turno de 12 horas, com exceção daquelas que produzem alimentos e produtos farmacêuticos e hospitalares. Também só será permitido o transporte de cargas de produtos considerados essenciais, como alimentação, combustíveis e da área da saúde e segurança.

-Restrição à venda de produtos – Foi definido, ainda, que só será permitida a venda de produtos de higiene, limpeza e alimentação nos supermercados, padarias e feiras, e de medicamentos, produtos farmacêuticos e de higiene nas drogarias e farmácias, sendo vedada a comercialização de qualquer outro tipo de produto, como forma de reduzir a circulação de pessoas nestes espaços.

Para isso, os estabelecimentos terão que restringir o acesso aos produtos cuja venda está suspensa. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Drogas do Amazonas (Sindrogas), Alarico Rodrigues, garantiu que a entidade vai atuar para que as drogarias cumpram as restrições de venda.

Circulação de pessoas

Também como medida para reduzir a circulação de pessoas, o decreto determina que apenas uma pessoa da família, por vez, acesse os estabelecimentos que permanecerão em funcionamento. Em relação à circulação de trabalhadores, o decreto permite o deslocamento daqueles que precisam trabalhar nos serviços essenciais cujo funcionamento está autorizado.

A circulação estará permitida para acesso a serviços de saúde de clínicas e laboratórios, com restrições para atendimento presencial que serão definidas pelo decreto.

Outra exceção é o deslocamento de agentes públicos que trabalham na área de saúde ou em ações de enfrentamento da pandemia, e de profissionais de imprensa. Os serviços de transporte de passageiros ficarão liberados desde que atuem para atender demandas autorizadas para circulação.

Medidas de restrição – De 25 a 31 de janeiro

O que pode funcionar

• Supermercados varejistas e atacadistas de pequeno, médio e grande porte e padarias – das 6h às 19h, com venda restrita a produtos de higiene, limpeza e alimentação

• Drogarias e farmácias – 24 horas, com venda restrita a produtos de higiene, medicamentos e outros produtos farmacêuticos

• Mercados e feiras – das 4h às 8h

• Delivery de serviços de alimentação – das 6h às 22h

• Indústria – em turno de 12 horas (exceção para alimentos e produtos farmacêuticos e hospitalares)

• Transporte de cargas – apenas de produtos essenciais, como alimentação, combustíveis e produtos da área da saúde e segurança

• Postos de combustíveis

Atividades suspensas

• Atividades não essenciais, incluindo lojas de conveniência de postos de combustíveis

• Delivery e drive-thru de comércio e serviços não essenciais

Circulação de pessoas

• Permitido deslocamento de uma pessoa do núcleo familiar para estabelecimentos do grupo de serviços essenciais

• Permitida a circulação de trabalhadores de estabelecimentos considerados essenciais

• Permitida circulação de pessoas para acesso a serviços de saúde de clínicas e laboratórios

• Permitido o deslocamento de agentes públicos que trabalham na área de saúde ou em ações de enfrentamento, e de profissionais de imprensa.

Publicado por: David Richard

 

Happy
Happy
0
Sad
Sad
0
Excited
Excited
0
Sleepy
Sleepy
0
Angry
Angry
0
Surprise
Surprise
0
PRÓXIMA PUBLICAÇÃO

Cidades registram protestos pedindo impeachment de Jair Bolsonaro

Na manhã deste sábado (23), tiveram início manifestações nas ruas pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro e a vacinação em massa da população contra a Covid-19. Os atos, que se estenderão durante todo o dia em pelo menos 30 cidades do país principalmente por meio de carreatas, estão sendo […]

Obrigado pela visita!