Coral do Amazonas teve aulas de francês para interpretar a ópera ‘Faust’

Redação
0 0
Tempo de leitura:5 Minuto, 33 Segundo

Em busca da perfeição para as apresentações de “Faust”, ópera cantada em francês e que conta a história do Dr. Faust, que faz um pacto com o diabo Mephistopheles para voltar à juventude e conquistar o amor da encantadora Marguerite, o Coral do Amazonas, único Corpo Artístico da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) a participar de todas as edições do Festival Amazonas de Ópera (FAO), teve o acompanhamento de um professor francês para alcançar a pronúncia correta do idioma.

O FAO 2018 é uma realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio do Bradesco Prime – que celebra 10 anos de parceria com o festival –, incentivo do Ministério da Cultura (Minc) por meio da Lei Rouanet; além do apoio da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) e da Aliança Francesa.

As aulas de preparação foram resultado de uma parceria da SEC com a Aliança Francesa que designou o professor Mathieu Bocher para a missão. Mathieu, que mora em Manaus desde 2013, diz que o trabalho com o Coral foi focado na fonética.

“Trabalhamos, principalmente, a fonética, focamos em corrigir as falas. Assisti aos ensaios e passei os trechos com o coral, eu lia o texto e eles repetiam reproduzindo corretamente o francês”, comenta.

Mathieu conta que a maior dificuldade foi afinar os sons que são próprios da língua francesa.

“Existem sons particulares do francês que não têm no português. Para acertar esses sons, trabalhamos repetição. A dificuldade maior é que alguns sons, quando falados todos juntos, destacam os ‘vícios’ da língua materna, o sotaque do português que se sobrepõe, mas trabalhamos para amenizar isso e eles conseguiram”, conta.

O professor afirma que o trabalho com o coro também foi um desafio para ele. “Foi uma experiência nova para mim e adorei fazer. Estudei música quando criança, isso é bem comum na França. Fiz saxofone, guitarra e um pouco de piano, mas de canto, teoria musical sei bem pouco”, comenta Mathieu que também assistirá, pela primeira vez, o Festival de Ópera. “Ainda não tive a oportunidade de assistir. Estou bem animado”.

Regente do Coral do Amazonas, o maestro Otávio Simões destaca que contar com a ajuda de um nativo é indispensável, mesmo para quem tem conhecimento ou fluência no idioma.

“O coro tem experiência em cantar em vários idiomas, especialmente italiano, inglês, alemão e francês que são as línguas principais no mundo da ópera. Eles têm facilidade em aprender rápido, mas ter um nativo explicando detalhes da pronúncia faz uma grande diferença”, afirma.

O maestro ressalta ainda que o resultado dessa consultoria foi bastante satisfatório e que o coro está afinadíssimo.

“Durante o acompanhamento, passávamos os trechos e parávamos para ouvir as observações do Mathieu e então nós repetíamos até ele, como francês, entender com perfeição as frases que o coro estava cantando”, comenta Simões.

Além dos ensaios do coral, o professor também acompanhou os ensaios em conjunto – com coro, orquestra e solistas – para fazer a manutenção do sotaque e fazer ajustes necessários a fim de não perder nenhum detalhe.

Qualificação

Rosimeire Vieira na estreia de “Faust”.

Integrante do Coral do Amazonas há 19 anos, Rosimeire Vieira vê a iniciativa como uma oportunidade de qualificação. “Essa preparação foi muito importante. “Estou há quase 20 anos no Coral cantando em outros idiomas e nunca nós havíamos tido a oportunidade de ter aulas para obter o sotaque correto”, comenta. “Aprender as técnicas e os macetes para pronunciar corretamente os sons específicos da língua para saber direcionar o som da boca nos ajudou muito. Aprendi até fazer o biquinho francês”, brinca Rosimeire.

Patrícia Rebouças, que também está há quase 20 anos no Coral, destaca que o cuidado com os detalhes enriquece a apresentação.

“Ter esse acompanhamento do Mathieu ajudou a diminuir os vícios e afinar a pronúncia. Melhoramos a pronúncia das sílabas, aprendemos quando se fala um E aberto, um E fechado; aprendemos a ler o E com os acentos e quando pronunciar o acento agudo ou grave. Isso enriquece o nosso trabalho”, pontua.

‘Faust’

Ópera do francês Charles Gounod conta a história do Doutor Faust que vende a alma para o diabo Mephistopheles, na tentativa de voltar à juventude e conquistar o amor de Marguerite. A ópera conta com um elenco internacional formado pela soprano francesa Isabelle Sabrié (Marguerite), o tenor italiano Alessandro Luciano (Faust), o baixo-barítono cubano Homero Perez (Mephistopheles), o barítono uruguaio Marcelo Guzzo (Valentin), a mezzo-soprano espanhola Anna Gomà (Siebel); e os amazonenses Thalita Azevedo, mezzo-soprano que interpreta Marthe, e Joubert Junior, barítono que faz Wagner.

Festival Amazonas de Ópera

Este ano, o Festival conta com a apresentação de cinco óperas:  “Faust”, “Dessana Dessana”, “Florencia en el Amazonas”, “Acis and Galatea” e a estreia mundial “Kawah Ijen (Vulcão azul)”. Os ingressos estão disponíveis na bilheteria do Teatro Amazonas e no site www.aloingressos.com.br, com valores que vão de R$ 5 a R$ 60.

Durante a temporada de ópera, também acontecerão atividades paralelas nos centros de convivências, shoppings, nos municípios de Manacapuru, Iranduba (no distrito do Cacau Pirera) e em Novo Airão; além do “Ópera delivery”, que levará sessões exclusivas de trechos de obras à casa dos amazonenses, e do projeto “Ópera Studio”, da Escola Superior de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), que apresentará “La Boheme”, de Giacomo Puccini, no Teatro da Instalação.

Sobre o Bradesco Cultura

Com mais de 350 projetos patrocinados anualmente, o Bradesco demonstra que acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. Com apoio a eventos regionais, museus, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros.

A instituição tem, ainda, uma plataforma de naming rights com o Teatro Bradesco, que conta com unidades em São Paulo e Rio de Janeiro. Em 2018, já passaram pela Temporada Cultural do Bradesco as exposições Julio Le Parc, Mira Schendel e Hilma af Klint, o espetáculo Bibi Ferreira e o LollapaloozaBrasil. Estão em cartaz os musicais Peter Pan e Ayrton Senna, além de diversas atrações confirmadas ao longo do ano, como os festivais de Parintins, Tiradentes, a festa junina de São João do Caruaru, o São João de Campina Grande, ArtRio, MIMO e MADE, entre outras.

Serviço: Reapresentações da ópera ‘Faust’

Data/hora: 4 de maio, sexta-feira, às 20h; e 6 de maio, domingo, às 19h

Local: Teatro Amazonas

Entrada: Os ingressos variam de R$ 5 a R$ 60 e estão disponíveis na bilheteria do Teatro Amazonas e no site www.aloingressos.com.br

Happy
Haha
0
Sad
Triste
0
Excited
Amei
0
Sleepy
Tédio
0
Angry
Raiva
0
Surprise
Uau
0
PRÓXIMA PUBLICAÇÃO

Dez pessoas são presas em operação contra o tráfico em Silves e Itapiranga nesta quinta-feira

A Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) prendeu dez pessoas durante a Operação Banzeiro contra o tráfico de drogas em Itapiranga e Silves nesta quinta-feira (03/05). Foram nove prisões em flagrante e uma prisão preventiva por tráfico e porte ilegal de arma de fogo. Cinco veículos roubados […]