Brasileiras fãs de K-pop são forçadas a se prostituir na Coreia do Sul

Sete brasileiras, fãs do gênero musical coreano conhecido como K-pop, foram enganadas e obrigadas a se prostituir na Coreia do Sul.

Elas foram seduzidas por uma proposta para levá-las ao país asiático, onde poderiam iniciar uma carreira artística. Em julho, homens coreanos entraram em contato com as brasileiras por meio de redes sociais e fizeram a oferta. Para convencê-las, chegaram a mandar passagens de ida e volta.

Iludidas pela promessa de que poderiam virar artistas ou modelos, as brasileiras resolveram fazer a viagem. Mas, quando chegaram à Coreia do Sul, a realidade que encontraram foi outra: elas tiveram o passaporte confiscado e o voo de volta cancelado.

As brasileiras foram levadas para um alojamento nas cidades de Goyang e Paju e depois vendidas para casas de prostituição. Os homens afirmaram que iriam denunciá-las como prostitutas caso resolvessem levar o caso à polícia.

No dia 17 de agosto, uma das vítimas conseguiu fazer contato telefônico com a Embaixada brasileira e relatou a situação. A polícia coreana foi informada e, prontamente, deu início às investigações, conseguindo resgatar as mulheres. Elas foram levadas para um centro de proteção.

Cinco coreanos, suspeitos de participar do crime, foram presos no dia 1º de setembro pela polícia de Ilsan Dongbu.