Arena Amadeu Teixeira recebe a 100ª edição do Jungle Fight neste sábado

Manaus – O lutador amazonense Klinger Pinheiro acabou ganhando a oportunidade de disputar, no card principal, o cinturão até 61 kg, na 100ª edição do Jungle Fight, durante a pesagem, realizada na tarde desta sexta-feira (27), no anfiteatro da Ponta Negra, zona oeste de Manaus. Considerado um dos maiores eventos de MMA do mundo, as lutas serão realizadas neste sábado (28), na Arena Amadeu Teixeira, zona centro-sul.

O card até 61kg seria disputado entre Eduardo Silva ‘Máquina da Dor’ (Full House/SP) e José Antonio Rodríguez Serrano (Cleber BJJ). Porém, com a ausência de ‘Máquina da Dor’ durante a pesagem dos atletas, o amazonense Klinger Pinheiro acabou ganhando a oportunidade de enfrentar o mexicano José Antonio.

“Para mim, é a vontade de Deus e ele me botou aqui. Tivemos uma correria, um sofrimento, para bater esse peso, mas, graças a Deus, deu tudo certo. Para mim, vai ser uma honra lutar com uma pessoa de fora, de outro país. Lutar no Jungle Fight é o sonho de todo lutador. Então será uma honra representar o nosso Amazonas”, disse.

Apesar de ter recebido a chance de ‘última hora’, o lutador disse que já estava preparado. “Se não fosse para lutar com ele pelo cinto, eu ia lutar com outra pessoa. Eu tô pronto! É uma honra, um prazer, uma alegria. Os amazonenses podem esperar, que será firme, pode esperar uma guerra”, afirmou.

O evento é presidido pelo lutador Wallid Ismail, por meio de uma parceria com a Prefeitura de Manaus. “Tô feliz da vida porque realmente vai ser incrível, vai ser histórico. Temos que agradecer muito ao nosso prefeito Arthur Virgílio Neto, que não mediu esforços para esse evento acontecer. Não é um Jungle Fight normal, é o Jungle Fight 100. Vai ser uma guerra e só ficou quem é disciplinada”, acrescentou.

Ingresso solidário

Para ter acesso ao evento, o público precisou trocar um quilo de alimento não-perecível, dando direito a um par de ingressos. Segundo Wallid, os ingressos já foram esgotados. Os alimentos serão repassados ao Fundo Manaus Solidária.

“Eu estou muito feliz. Esse trabalho do Fundo Manaus Solidária é realmente incrível. Então, nós vamos mostrar esse trabalho, também, porque quem faz o bem para nossa cidade, nós temos que mostrar, esse é o papel do esporte”, ressaltou.